Drops semanais #5

4 de julho de 2015


Dessa vez um pouco mais de foto nesse post que o normal. Essa semana foi extensa, com todo dia alguma coisa acontecendo e todo dia zero tempo para dormir. Tinha até que ter uma foto especial para as minhas olheiras, mas nem tem.

Acontece que preciso estudar muito, porque estou na odiada época de monografia e pensando seriamente no tema: mestrado. Além disso, sempre preciso estar estudando muito quando penso que tenho minha bolsa de extensão. A solução que achei foi trocar minhas leituras de romance nas idas e voltas do trabalho por textos acadêmicos, porque só assim pra dar conta.


No meu final de semana que eu poderia finalmente meter as caras nos estudos eu não paro em casa. Sábado passado eu fui no Centro Cultural do Cartola/ Museu do Samba, com o pessoal da Rede de Museologia Social do Rio de Janeiro, e esses encontros são sempre muito bons, então no fim vale a pena ir, e costumo ficar mal quando perco algum.



Nessa semana todo dia eu tinha um cafézinho com alguém depois do trabalho para matar a saudade e tietar sobre a vida. Nesse dia encontrei com a Gis e a Nico. A Nico havia me encontrado no dia anterior, porque daqui há duas semanas essa barriga dá uma murchada porque a Elis vem ao mundo e eu precisava vê-la antes disso acontecer. No outro dia tinha marcado com a Gis da gente se encontrar para esclarecer mil dúvidas sobre mestrado e a Nico, que também tá nessa fase, apareceu de novo na minha semana. Foi uma noite de assunto sério mas regada de risos.


A foto da direita é numa estação em Copacabana que eu passava com uma certa frequência quando trabalhava em outro lugar e que tinha meses que eu não passava. Acho isso interessante de ir conhecendo diferentes estações e suas saídas e arredores conforme eu vou mudando de emprego.

A da esquerda, é o lado de fora do museu/ centro cultural onde trabalho e onde também tem um café, que foi onde eu e a querida Vê marcamos de nos encontrarmos pra pôr o papo em dia. Desde janeiro que tentamos fazer isso e finalmente! Ela não aparece na foto, mas era tanta conversa que a ideia de foto nem passou pela nossa cabeça, tirei essa enquanto a esperava mesmo.


Eu e uma amiga de trabalho passamos pela sofrência de pensar onde almoçar todos os dias. Há tempos que queria comer feijão tropeiro e nada de acharmos um lugar perto onde tivesse. Até que ela lembrou de um restaurante nordestino relativamente perto. Chamamos outra companheira de trabalho e lá fomos nós. No final nem tinha meu feijão tropeiro, só o de corda, que são bem parecidos. Mas gente, comida nordestina né? Tem como haver alguma reclamação? Já queremos voltar lá no próximo mês!




Por último esse combo de quatro fotos que foram tiradas hoje. A minha querida Darley se casou em fevereiro e desde então mora nessa casa de boneca com seu respectivo. A Lazaroni, nossa querida amiga de colégio, ainda não tinha ido lá e marcamos um almoço pra Laza conhecer o lar da Darley. O combo foi maravilhoso: ótimas amizades + comida deliciosa.



Estou cansada pra caraca! A Vêronica veio me dizer que nunca havia me visto tão cansada em toda nossa amizade. E a verdade é que não sei se consigo me lembrar de época em que já estive mais cansada do que estou agora. Normalmente já chego a noite mesmo em casa, quando vejo meus amigos então, depois do trabalho, ai é que chego realmente tarde, ainda tomo um café pra meter as caras nos textos, e acaba que vou dormir tarde, mais que o normal. Sendo que eu mal durmo porque acordo várias vezes durante a noite. Ou seja... Estou de fato muito cansada. Tanto física, quanto mentalmente, quanto tudo.
E ainda sinto que essa segunda metade do ano será ainda mais punk. Boa sorte pra mim!



You Might Also Like

0 comentários

Instagram