Drops semanais

Drops semanais #4

segunda-feira, junho 22, 2015

Sem dúvida um dos livros mais bonitos da nossa coleção de livros aqui de casa, essa versão pocket de Pride & Prejudice. Estou enrolando muito nessa leitura, e como vocês podem ver pela foto, ainda estou na metade mais ou menos. Mas é leitura pra ser feita na ida/ volta do job, e ando preferindo ouvir música do quer ler, ou seja.


No início da faculdade era normal eu ir sentar na praia vermelha, observando essa vista, enquanto matava um tempinho. Fui parando de ir praí porque a vida foi ficando mais corrida e com menos tempo para o ócio. Agora que estou realmente na caminhada final então, nem se fala. Mas acabou que nessa semana sai super cedo de uma prova e só tinha outra aula as 14h, de alguma forma fui parar na praia vermelha, observando essa paisagem já velha conhecida minha. Estava um dia frio e chuvoso, mas ainda assim foi um bom lugar para matar o tempo.


Para quem me pergunta o que um museólogo faz, a gente também higieniza as peças que ficam expostas no museu, às segundas, quando o museu não abre. HA-HA!

Coisas que amo que não são coisas

sábado, junho 20, 2015


Vi esse post da Stephanie Noelle e li item por item, chegando no final morrendo de amor pela ideia e pela lista dela e com muita vontade de copiar a ideia aqui. Consisti em listar coisas que amo, mas que não são materiais, são ações, detalhes, pessoas, sentimentos, momentos, etc. Já vi o post em outros blogs e sempre paro para ler, mas dessa vez parei para escrever, rs. Vamos lá:


~ Tomar banho com luz matinal, antes de sair de casa, umas 9h/ 10h
~ Assistir ao pôr-do-sol
~ Tirar o sapato ao chegar em casa
~ A sensação do cabelo limpo e molhado, depois de lavado
~ Ter insights enquanto leio textos fantásticos
~ Ler textos fantásticos
~ Chorar com filme de drama
~ Me entupir de chocolate
~ Conseguir fazer direitinho uma receita
~ Fazer novas receitas
~ Cuidar de planta
~ Escrever nesse meu espacinho aqui tão especial
~ Escrever carta
~ Enviar carta
~ Receber carta
~ Pintar
~ O abraço dos meus pais
~ O abraços dos meus amigos
~ As implicâncias entre eu e minhas irmãs
~ O mar de compreensão e intimidade existente entre eu e minhas irmãs
~ Banho de mar
~ Ouvir música
~ Mergulhar em sentimentos enquanto escuto música
~ Andar de bicicleta
~ A liberdade ao andar de skate
~ Me sentir bem e me reconhecer na roupa que estou usando
~ A coragem de usar o que eu quero usar
~ Conseguir quebrar pensamentos que não concordo mais dentro de mim
~ Usar batom vermelho e vinho
~ Ler comentários nesse espacinho aqui
~ A sensação de tensão perante o total desconhecido quando piso em uma cidade nova, especialmente na primeira noite/ primeiro dia
~ Conseguir andar sem me perder e conhecendo cada pedacinho de uma cidade nova, já no fim da viagem
~ Pegar estrada
~ Conhecer e me apaixonar por cidades
~ Dividir quarto com amigos, e a sensação de intimidade e liberdade que reina nessas ocasiões
~ Colocar o braço pela janela do carro e sentir o vento
~ A moleza na cama antes de finalmente cair no sono
~ O Xarope no meu braço enquanto durmo
~ Bebida quente na boca, especialmente quando desce pela garganta
~ Ficar de moletom embaixo do edredom num dia de frio
~ Me sentir quentinha envolta do cachecol, na rua, num dia de frio
~ Olhar o céu estrelado em uma noite limpa, em algum lugar sem poluição, onde as estrelas se juntam uma na outra
~ Sentir o calor e o amor de Deus
~ As surpresas da vida
~ Me sentir apaixonada
~ Andar na areia
~ Beijo e cheiro no pescoço
~ Fotografar com câmera analógica
~ Observar um céu azul, sem nuvens
~ Observar a paisagem da linha vermelha na altura do aeroporto
~ Andar de carro com o meu pai
~ Comprar passagem de supetão
~ Ficar horas embaixo d'água num banho quente
~ Receber um olhar carinhoso
~ Comer com os meus amigos
~ Ficar em casa com a minha família
~ Dormir vendo filme
~ Comer pipoca feita por mim
~ Fazer compras no mercado com minhas irmãs
~ Conhecer novos restaurantes
~ Sair com meus amigos
~ Fazer picnic
~ Planejar viagem
~ Conversar por horas, com a mesma pessoa, passando por diferentes assuntos
~ Estar com a unha pintada
~ Tirar cochilo
~ Tirar cochilo no fim de tarde e acabar dormindo até o outro dia
~ Observar as pessoas
~ ... <3
Drops semanais

Drops semanais #3

segunda-feira, junho 15, 2015

Deveria ganhar um prêmio das Lojas Americanas como a cliente mais fiel, que mais frequenta a loja. Toda semana estou lá comprando chocolates. Uma amiga (que também merecia tal prêmio, e nós duas juntas todos os dias não presta muito) me apresentou esse chocolate, que conhecia mas nunca havia experimentado, (já recebi muito julgamento por isso, então podem parando me de julgar), e nossa, poque nunca comi isso antes? Dai que no outro dia, depois dela ter me dado unzinho, já estava eu lá na americanas comprando não um, mas dois pacotes. Não me perguntem quantos mais comprei depois desses, beijos.


Uma das formas de trazer memória de viagem pra casa, de forma materializada, é através de acessórios. Dia desses saí assim de casa, cheia de memória.
A começar por essa moeda como cordão. Foi um achadão em um quiosque em Cachoeira - Bahia, amei e arrebatei. É a primeira moeda da Argentina! Acreditam? 
Além do cordão, essas duas pulseiras. Uma tem as bandeirinhas de Cuba e foi um presente que a dona de uma casa, por onde passei, me deu (e para os meus amigos também), achei de uma fofura. A outra pulseira, fininha, é um presente que trouxe para a irmã Débs lá de Salvador, e quando fui falar com a moça que fazia, descobri que ela era uma argentina erradicada no Brasil, amei rs.


Um ótimo acontecimento. Papai teve alta e está em casa, conosco <3. As coisas ainda não estão cem por cento quanto a esse assunto, mas só de vê-lo todos os dias e ter sempre pertinho já dá mais paz ao coração.


Por último, essa foto de alguma manhã dessa semana. Comprei essa bíblia de estudos, que é ótima. Pude ler a de um amigo e quis igual haha. Deus anda falando muito comigo através das Escrituras, estava com saudades já disso. E essa tapioca, amigos uma dica: coloquem alho na tapioca de vocês! Eu amo alho e tive esse insight, não consigo mais comer uma tapioca sem! Tapioca também foi uma solução que achamos aqui em casa para não sobrevivermos só a base de pão.
Filme

Indicação de filme #1

sábado, junho 13, 2015





Nunca fui de dar indicação de filme por aqui, porque é tão normal a gente ver post com esse tema pelos blogs, que acabo sempre sem vontade de fazer alguma indicação. Daí que fiquei um bom tempo sem ver filme, porque mais que não ter tempo, não tinha cabeça mesmo. Mas bateu uma saudade, uma vontade de ver, que tive que reservar um tempo só para isso. Entrei no Netflix e sabia a vibe de filme que queria, mas não qual.
Fui nas indicações. E resolvi fazer esse post por isso. Várias das indicações que o Netflix me dá eu desconsidero porque eu já vi, ou porque é uma indicação que não, obrigada. Mas as vezes vale a pena arriscar, naquele filme que você nem está considerando muito, ou nunca ouviu falar. Foi o que fiz com La Tête en friche (Minhas Tardes com Margueritte).


Minhas Tardes com Margueritte é um filme extremamente leve, que trata da vida do Germain Chazes, um homem meio solitário na vida, que carrega alguns traumas de infância que não compartilha muito com os poucos que o cercam. Então ele encontra a amável Margueritte, uma senhora de 95 anos, que trás algum tipo de luz para sua vida, mesmo que isso pareça clichê.

O filme só tem 82 min, muito pouquinho. Não é nada espetacular, algumas vezes você até já sabe onde irá levá-lo. Mas por sua leveza e por seu pouco tempo acaba sendo um ótimo filme pra terminar o dia, ou passar a tarde para arear um pouco a mente, como eu fiz.


Agora nem só de descobertas nós vivemos não é mesmo? Então por mais chiclê que seja, eu preciso falar, de novo, de Orgulho e Preconceito por aqui, porque sim.
Eu estou relendo o livro, dessa vez a versão em inglês (que eu morro de vontade de fotografar e postar em tudo quanto é canto, toda vez que abro, porque é uma versão linda) porque quero pegar pesado no meu inglês e vou nesse inglês mais level hard mesmo, mas nada melhor que pegar mais pesado com um livro que já li algumas vezes né?
Relendo, é óbvio que fiquei na vontade de rever o filme. E aqui fica outra ~indicação~, além de dar chances pra filmes novos desconhecidos, também dar para os velhos queridos. Na mesma proporção que vejo filme novo eu revejo filmes queridinhos. Orgulho e Preconceito sempre está lá, sendo revisto.
Porque, nossa, que filme. Amo a beleza dele, a sensibilidade, a fotografia, as atuações, os diálogos. Eu sinto uma falta danada do finalzinho do livro que foi cortado do filme (mas se encontra na série, então vejam a série que é super fiel ao livro), mas faz parte. Aí o que eu faço é sempre ir ver o final alternativo no YouTube, quando eu revejo no Netflix e não pelo meu dvd.
Nesse dia fui dormir as 2h da matina vendo esse filme, tendo que acordar cedo, mas tudo bem, fui dormir tão bem, porque esse filme, ai, é tão lindo!

Espero ter mais tempo para descobrir outros filmes leves assim nesse mês e igualmente para rever outros.

Cuba

Trinidad, Santa Clara e Cayos

sábado, junho 06, 2015

Me peguei emocionadinha com o texto da Manie porque me encontrei muito nele. Final de semana passado, na quinta, um amigo me falou de supetão de um evento que ocorreria em São Paulo e que eu queria muito ir, há tempos, e ele iria, na sexta. O que eu fiz? Comprei passagem pra cidade dele, sem nunca ter ido a rodoviária Novo Rio antes e de lá fomos para o evento em sampa. Assim, sem nenhum planejamento prévio, mas que me rendeu um dos melhores finais de semana da minha vida. Fato. Por conta de coisas que nem conseguiria contar aqui nesse blog.
Esse sentimento de coragem pra ir conhecer uma cidade nova, um bairro novo, um estado novo, encarar uma rodoviária desconhecida, ir sozinha até um novo local, sem o medo dominando todo nosso corpo, é simplesmente muito bom.
Acabou que esse sentimento foi se transformando em saudade das trips de carro que fiz por Cuba, que me levaram a cidades que ainda não havia postado foto por aqui. Fui ver as fotos, ah... E resolvi postar.





Eu ando fazendo muito post com recheio de foto por aqui, mas o que eu posso fazer, se é isso que ando sentindo vontade de postar, não é mesmo?
Essa praia acima, é a praia Ancon, que fica em Trinidad. Simplesmente a praia mais linda que já fui em toda a minha vida. Porque além de ter essa água maravilhosa, ela tem uma vista mais encantadora ainda. Olhem essas montanhas ao lado desse oceano meu povo. O que dizer? Só sentir.
Nesse dia queimei (de fazer bolha), meu pé correndo pelo asfalto frito do sol, na tentativa (fracassada) de ir até uma piscina natural. Mas as bolhas se foram e a paixão por essa praia continua.







Trinidad é uma cidadezinha linda né? A cidade com a luz mais linda que já conheci, mais bonita que a luz do Rio de Janeiro haha. Todo fim de tarde, não importa o quão nublado tenha sido o dia, essa luz laranja-rosada sempre aparecia.




Fiquei em uma casa em que o dono cozinhava, e em uma noite tive que comer alguma coisa por lá. Na primeira foto acima vocês podem ver que noite deliciosa eu tive.
Meus queridos companheiros são fãs dos Beatles e quando passamos, a tarde, em frente a esse bar, eles acabaram marcando de voltar a noite e que legal que foi. Ouvimos vários clássicos dos caras, além de Evanescence e Adele rockeira. Acho digno.

Depois que saímos desse bar paramos num El Rápido da vida, Yuri e Nath comeram pizza e eu fui no sorvete (só Deus sabe o quanto sinto falta de comer um pote desse de sorvete todos os dias), e quando olhamos a hora era meia noite, aniversário do menino Yuri, então começamos a cantar parabéns pra ele em voz alta mesmo, deixando-o todo sem graça, e que momento amigos, sério. Um dos momentos mais gostosos dessa viagem, ter passado o aniversário dele, com ele, desse jeito, nessa ilha, nessa cidade, comendo o que estávamos comendo...




Pegamos uma estrada sobre o mar, não uma pontezinha, para chegar aos Cayos. O que me rendeu a foto que abre esse post, sendo considerada, por mim (e pelas hermanas também), uma das fotos mais bonitas da trip.




Ninguém diz que tinha um bando de água viva nesse mar maravilhoso de papel de parede do Windows, né? 




Três fotos muito significativas para a minha pessoa, lá de Santa Clara. 





Fugimos das águas vivas e fomos parar nesse paraíso deserto, nada mal.





Por fim, umas imagens de Santa Clara, essa cidade que me surpreendeu tanto positivamente, que me deixou com preguiça de voltar pra Havana, pra poder voltar pra casa.
Trinidad, os Cayos e Santa Clara me permitiram descansar muito, foi tudo muito calmo e proveitoso.

O post ficou imenso, porque juntei esses três lugares de uma vez só aqui. Eu já tinha perdido a esperança que qualquer outro post sobre Cuba fosse sair, então já é lucro eu ter feito esse, aproveitei a vontade de postar essas fotos e falei logo sobre os três lugares.

A nostalgia parece ter aumentado depois de não apenas ter revisto as fotos, mas também ter escrito por aqui um pouco mais sobre essa viagem. <3
Beleza

Cabeleira

sábado, junho 06, 2015

Hoje passando a mão na parte de trás do meu cabelo percebi que ele havia crescido consideravelmente, já que me recordo que quando cortei mal o sentia roçar no pescoço, pelo simples fato de que não havia cabelo o suficiente para roçar ali. Então, fui atrás da primeira foto que tirei dele, assim que cheguei em casa do salão.


E depois fui atrás dessa foto, umas das últimas que tiraram de mim. Dá pra ver que o bichinho cresceu mesmo né?
Mas agora fiquei com vontade de ver ele curtinho de novo, e ter o pescoço livre só pro vento. Ai ai.

Postagem Coletiva

33 coisas que ninguém perguntou mas eu respondi

terça-feira, junho 02, 2015
Esse post está no meio dos rascunho por aqui tem tempos! Mas enrolei para publicar por nunca ter tempo de fazer essa pequena introdução, por fim, cá estou eu.

Então, a Manie respondeu esse meme, então a hermana Debs também respondeu, dai a Bru e a Thami falaram que também responderiam, e eu me empolguei e fiz também. Como o próprio nome diz, ninguém perguntou, mas qual a graça de um blog se não for perder tempo falando de nós mesmos nele né amigos? Isso que faremos aqui então.


1. Por que você costumava levar bronca quando criança?

Porque era manhosa? Quase não levava bronca quando era criança, sempre fui amável e calma haha. Mas quando era muito novinha mamãe se irritava um pouco comigo porque precisava ir para o colégio mas não queria por motivos de: queria ficar com ela e não com os amiguinhos recém chegados do colégio.

2. Qual foi a última vez em que você saiu sem rumo?

As vezes saio sem rumo meio que tendo um rumo sabe? Normalmente pela Urca, pra ir pra mureta, ou na praia vermelha, fazer nada, ou seja, pegar a bike e ir pedalando até onde eu quiser, que costuma ser no Arpoador. Então, a última vez eu não sei, acho que no início desse ano quando fui pedalando até achar uma estação de bike e parar com ela.

3. Três objetivos para seu futuro?

Ter cada vez um relacionamento mais íntimo com Deus. Fazer cada vez mais as coisas que eu quero sem medo. Trabalhar em um local que eu realmente me sinta útil no meu trabalho, dentro da Museologia Social se possível.

4. O que você encontraria se abrisse a geladeira neste exato momento?

Requeijão. Mortadela. Leite. Suco de maracujá. Leite condensado aberto. Negresco na porta dela. E muitas panelas com resto de comida, tipo uma que tá com strogonoff.

5. Qual tecnologia ocupa mais o seu tempo?

Alguém responde outra coisa além de internet aqui?

6. Uma coisa usada que você comprou.

Livro, compro muito livro na estante virtual.

7. Qual a primeira coisa que você faz ao acordar?

Desligar o despertador e pensar no meu dia para ver se rola dormir mais meia hora. Dá pra cortar o almoço e não molhar o cabelo essa manhã?

8. Do que você precisa neste exato momento?

Mais intimidade com Deus, mais paz no coração.

9. Qual foi a última coisa que você leu, ouviu ou assistiu que te inspirou?

Caraca, isso é difícil. O que não inspira a gente de alguma forma? Estou sempre lendo coisas espetaculares, sempre ouvindo música. Mas acho que foi essa entrevista que abriu muito meus olhos, mas não necessariamente me inspirou: http://www.teoriaedebate.org.br/materias/nacional/invencao-do-brasil?page=full

10. Um souvenir que você comprou ou ganhou.

As coisas que trouxe de Cuba. Mas também os souvenirs que recebo de amigos e estão espalhados no meu quarto.

11. Já morou em outro país além do Brasil?

Não.

12. Você tem tatuagem?

Sim.

13. Qual foi a última coisa que você pesquisou no Google?

"eucom camp des loges". Migos foi pra uma pesquisa que estava fazendo no meu trabalho, se tacarem isso no google não se assustem.

14. Qual a sua maneira de ser egoísta?

Odeio egoísmo, odeio mesmo. Odeio ser egoísta. Mas, se é pra responder, quando eu não atendo o telefone e nem retorno a ligação? Ou demoro séculos pra responder no facebook ou whatsapp?

15. O que demora demais?

Minhas férias.

16. A última vez em que você ficou acordada durante a noite toda?

Essa última noite.

17. Qual comida que todo mundo ama mas que você odeia?

Feijoada. Não odeio. Mas já que é pra dramatizar digo logo de lata feijoada mesmo.

18. O que você está vestindo agora? O que essa roupa diz sobre você?

Sapatilha, legging, blusa soltinha de manga cumprida, casacão de lã, jaleco e luvas de latex. Diz que preso o conforto e estou no meu local de trabalho respondendo isso ao invés de trabalhar.

19. Já fez amigos ou se apaixonou por alguém que você conheceu pela internet?

Qual seria a graça da internet (e do mundo dos blogs) se a resposta para essa pergunta fosse "não"?

20. O que te faz perder o sono durante a noite?

Questionamentos, medos, anseios.

21. Qual foi a primeira coisa que você comprou com seu dinheiro?

Uma passagem aérea pra Bahia! HA! hahaha e o resto juntei pra comprar meu long.

22. O que tem na sua prateleira?

Livros e makes.

23. Como você se acalma depois de um dia estressante?

Andar de bicicleta, chegar no Arpoador, colocar uma música a la Bon Iver no fone e comer chocolate enquanto vejo o pôr-do-sol. Melhor forma de terminar o dia na verdade.

24. Escreva sobre algo que você quebrou.

O cordão da Débora que depois sumiu e esses dias mamãe achou e ele está consertado (mamãe que consertou) e ela jogou na minha cara (como sempre) que nem sequer pra achar o treco eu fui útil. Te amo Débs.

25. O que você mais gosta de comer no café da manhã?

Bebida quente, serve?

26. Como quer que sua vida de aposentada seja?

Um amor, um jeep e o mundo.

27. O que você leva em consideração ao votar em um partido político?

As propostas e o histórico dele, como também de seus candidatos.

28. A religião é um fator importante na sua vida? Por quê?

Deus é. Religião não.

29. Como está sua casa agora, limpa, suja?

Limpa, um dia que casa de mamãe estiver suja eu pago 1 ano de M&M pra todo mundo. (brinks, as vezes fica, na correria e tal).

30. Você não economiza quando o assunto é…

Comida e amigos. Todo dinheiro que me resta no final do mês é para comer. Como também posso estar ferrada de grana, mas se for para ver amigos a gente dá um jeito e se vê.

31. Você separa o lixo para reciclagem?

Não.

32 .Sua sobremesa favorita?

Chocolate. Melhor doce. Top 3 de melhor comida também, lá está ele.


ps.: só tem 32 perguntas eu sei, de alguma forma eu perdi a 33º e não conseguia achar, tadinha dela.

Drops semanais

Drops semanais #2

segunda-feira, junho 01, 2015
Esse post deveria ter entrado ontem, de acordo com a minha cabeça. Mas o dia foi um pouco diferente do que imaginava, e ele, o post, acaba por entrar hoje, o que está tudo bem também. Mas minha ideia é fazer esse tipo de postagem aos domingos, ok?


Como tenho sobrevivido todas as minhas semanas: com nosso amigo café. Já fiz posts aqui sobre minha relação com essa bebida tão amiga dos brasileiros, e acontece que hoje em dia, lá no trabalho, eu estou no top 3 de pessoas que mais utilizam essa máquina de café. Sem ela eu teria caído na mesa em cima do teclado na segunda-feira literalmente, e não apenas na minha mente.


Essa semana foi uma semana incrível para mim, apesar de todos os pesares. E essa ideia de postar pequenos momentos e discorrer sobre minha semana aqui no blog, foi justamente ~também~ para eu mostrar a mim mesma que a vida tem me dado coisas boas nesse período mais difícil que a gente vem passando aqui em casa. Pra mim, essa semana começou na sexta, e terminou só ontem mesmo, no domingo, uma semana com 10 dias, mas tudo bem.
Esse final de semana tanta coisa aconteceu, de uma forma tão inesperada, que eu mesma nem sei. Foram coisas ótimas, entre elas uma que me deixava em crise há uns dois anos, e que finalmente consigo sentir paz, como também dentre esse emaranhado de coisas, teve outra que trouxe um tico de ansiedade junto, na qual venho trabalhando desde então.
Essa foto do céu azul, no meio das árvores, representa essas coisas boas da semana, vocês sabem o quanto um tempo bom, com céu azul, tem significado pra mim. 



Na sexta, a aula que teria na faculdade foi transferida para um museu, onde meu orientador (e também o docente da disciplina em questão) trabalha. Cheguei cedo e fiquei na escada esperando o resto da turma chegar (no caso, mais 3 pessoas, visto que é uma disciplina do mestrado e não da graduação), enquanto isso bati essa foto. Dia feio, com chuva e céu nublado, nada do que eu gosto. Mas a manhã foi maravilhosa, só apareceu mais uma aluna, também bolsista desse meu professor, e ao invés de termos uma aula, tivemos uma pequena reunião inesperada. Como sempre, foi ótima. Sempre saio dessas reuniões com meu orientador toda cheia de energia, com respostas para várias dúvidas que envolvem minha formação, mas também com vários outros pontos de interrogação para serem devidamente saciados. 

Instagram