Pessoal

Good vibes

terça-feira, dezembro 30, 2014
I need to say this every single day

Eu não sei exatamente se every single year eu faço um post reflexivo sobre o ano que está acabando aqui nesse blog, mas eu sinto como se fizesse isso, porque sei que já escrevi alguns por aqui. Na maioria das vezes sinto uma certa preguiça em relação a toda essa vibe de fim de ano, mas nesse, por algum motivo desconhecido, estou amando ler cada post de retrospectiva que acho nos cantos dessa internet. Li todos, todos que apareceram no meu feedly, e cá estou eu me rendendo de novo.

No último 7 on 7 eu acabei falando um pouco sobre esse ano, mas não o suficiente. Mas de certa forma foi bom, já que falei das melhores coisas que aconteceram, ou quase isso.

2014 foi um ano denso, pesado, difícil de carregar.
Eu peguei leve com a faculdade em alguns períodos, e isso fez com que eu acumulasse algumas matérias. Decidi que esse semestre, seria o semestre de desacumular tudo e dar o meu máximo. Eu acabei pegando 6 matérias (o que pra mim é muito, visto que cada matéria tem no mínimo 4h de aula seguidas), uma bolsa e um estágio. Tinha aula até de noite e zero tempo livre durante a semana, usando meus sábados para ler textos e fazer trabalhos.
Sendo que semestre passado foi o semestre de montagem de exposição, também conhecido como o pesadelo da turma da museologia. Traduzindo, foi um ano cansativo.

Eu sei que eu precisava montar essa exposição e eu sei que eu precisava pegar todas essas matérias esse semestre, precisava do estágio e não poderia largar a bolsa. Então eu peguei tudo e dei meu máximo, e foi, no final das contas sempre vai.

Junto a isso, acho que meu cérebro trabalhou ou tentou trabalhar, o máximo que ele pôde. E a vida, claro, ela continuava acontecendo com todos os seus imprevistos. 

Em meio a tudo isso eu me encontrei muito e falei um pouco aqui como amadurecer dói. E dói mesmo, mas passa, e dai você tem que saber lidar com o bom que ficou e acredito que estou no caminho certo.

Eu me perdi um pouquinho por causa disso tudo, a faculdade e todo seu stress (especialmente porque tive que pegar aquelas matérias que a gente não curte mas está entre as obrigatórias) e por causa da vida e seus acontecimentos, mas graças ao meu pai e também à vida, eu acabei voltando pro lugar certo. E então me perdi de novo. E voltei de novo, agora, no finalzinho do ano.

Tiveram acontecimentos bons, claro, e as pessoas parecem querer gritar alguns deles na minha cara quando reclamo de 2014, mas é o que digo sempre, eles aconteceram mas me cansaram um bocado para virem a tona 'cê sabe? É essa vida de adulto, onde as coisas não caem do céu, então para conseguir a gente simplesmente, hm, se esforça. Seja para conseguir passar na P.F. e aí a gente precisa estudar pra caraca nos últimos segundos quando parece que o neurônio sobrevivente vai morrer, seja para criar uma opinião própria e ninguém vai aparecer te dando uma pronta, ou você simplesmente não vai aceitá-la tão bem, como fazia quando era criança e ai então lemos e pensamos um bocado para tentar chegar num pensamento que pareça ou seja válido, seja para bancar alguma coisa e então a gente deixa de comer fora com os amigos para pôr grana na poupança. Então por mais que eu tenha aproveitado cada coisa boa, foi acumulando o cansaço dos esforços.

Também termino esse ano bem mais madura do que comecei, com mais convicções do que quero, não quero, preciso ou não preciso nessa vida, mais cercada de gente maravilhosa, amando mais ainda minha família, confiando mais em Deus, com mais certezas quanto ao que estudo e trabalho, com boas fotos guardadas.

Termino querendo deixar todo esse peso de 2014 nele. Não sou de fazer resoluções para anos que começam (e eu tenho certeza que já fiz um post sobre isso por aqui, mas estou com preguiça de procurar), mas quero fazer uma para 2015: quero mais leveza.
Também não sou de planejar nada para anos que começam, mas estou realmente planejando um ano mais leve.

Eu já pensei muito sobre datas comemorativas, seja feriado ou aniversário, e em uma conversa com uma amiga, minha perspectiva sobre ano novo mudou.
Eu vejo com bons olhos darmos entrada em um novo ano, mesmo que as horas sigam da mesma forma. É simplesmente bom fazer um divisor e ter um impulsor para coisas novas, algo que nos impulsione a fazer modificações. Não estou falando sobre criar esperanças ou ilusões. Ou fazer uma lista de coisas a serem feitas no próximo ano. Mas longe disso, o simples fato de saber que temos mais novos 365 dias pela frente e neles tudo pode ser diferente. Eu gosto dessa separação da vida em anos, e gosto dessa vibe, mesmo sabendo que ela se encaixa no nosso dia se acreditamos que "every breath is a second chance" como eu acredito, mas de domingo a domingo nem sempre levamos isso tão a sério assim, e aí entra o ano novo.

Mas eu estou tentando levar essa filosofia já tão vendida para o meu dia a dia, e trabalhando nessa positividade com minha irmã Débora.
Estou (estamos) conseguindo, então posso dizer que comecei meu ano leve de 2015 nos últimos dias de 2014. 


2014 foi uma loucurinha, mas eu aprendi mais que tudo que loucura é coisa boa e desejo algumas em 2015.
2014, trouxe muitos imprevistos, e eu aprendi que imprevisto é coisa boa, então desejo alguns imprevistos em 2015.
Por fim 2014 me mostrou que o ser humano é uma coisa linda. Então do fundo do meu coração, 2015 me traga muita gente linda que disso eu não me canso.

Mas também me traga loucuras e imprevistos lindos né? Que nesses próximos meses nós vamos brincar, mas pegando de leve, certo?

How To Pick The Right Bathing Suit For Good Vibes All Summer Long






7 on 7

7 on 7 - Melhores conquistas de 2014

sexta-feira, dezembro 26, 2014

Último 7 on 7 das lindas do ano no ar! Com quase 20 dias de atraso, mas aqui está ele, saiu!
O tema do mês de dezembro foi uma proposta minha, onde retrataríamos nossas melhores conquistas nesse ano que está chegando ao fim. Aproveito para fazer aqui minha pequena retrospectiva, falar um pouco do ano que passou. Como sempre não vou focar em conquista material, mas naquilo que foi bom pra mim nesse ano.

O que já começa sendo algo difícil. 2014 foi um ano trash, para mim e para 98% das pessoas ao meu redor, fico até chocada por alguns segundos quando vejo alguém falando hiper bem desse ano. Foi difícil e tô felizona que ele está terminando. Mas tem sempre como sugar coisas boas de tudo. Realmente acredito nisso então aqui vão as melhores coisas desse aninho que foi 2014.


1.Pessoas


Das melhores coisas que me ocorreram em 2014, me cercar de gente maravilhosa está no top 3!
No dia que saiu o resultado das eleições presidenciais, no segundo turno, havia muita gente reclamando no twitter de pessoas que os cercavam e estavam fazendo comentário preconceituoso ou reclamando do resultado. Eu fiquei tão feliz por ter visto pouquíssimos comentários desse tipo nas minhas redes sociais e que contrário à isso, meus amigos estavam super felizes com o resultado junto comigo. 
Nessa hora me toquei que em 2014 eu realmente me cerquei de gente fantástica, que além de ter coração grande ainda é mente pra frente. Fala sério, qual o tamanho da minha sorte né?
Alguns são amigos super chegados que falo todo dia e compartilho a vida, outros não, são aquelas pessoas que dá maior prazer de conversar e sair, mas não necessariamente compartilho toda minha vida. De qualquer forma, sendo amigo, parceiro, das internet ou da vida real, nesse ano conheci muita gente supimpa e finquei amizade com outras que já sabia que eram incríveis mas não era tão próxima. E sou de coração, muito, muito grata por isso.
Eu amo muito ter tanta gente linda perto de mim! 


2. Estágio


Eu já passei por dois estágios e agora estou no meu terceiro. No início do ano queria desesperadamente sair do meu segundo e arrumar um realmente bom para esse ano, e morria de medo porque não sabia exatamente ainda quando iria me formar, então temia estar chegando no fim da faculdade e que isso pudesse dificultar que eu arrumasse algo. Como que seiláoque eu entrei no estágio onde estou hoje. A vaga apareceu e sumiu do nada numa página no facebook, mandei o currículo sem muita fé, dias depois me chamaram para uma entrevista e eu estava dentro.
Foi uma das melhores coisas desse ano. Entrei num lugar realmente legal, onde estou aprendendo muito, super equipado (que pra realidade da minha área, isso é demais), com gente legal e uma remuneração maneira (pra realidade da minha área também). Fico feliz, de verdade, que eu tenha conseguido esse estágio e que esteja aprendendo tanto nele.


3. Vida ~profissional~


Primeiramente desculpa por essa foto horrível, é que não saiu nada melhor ;/

Falei acima especificamente do meu estágio, mas agora falo da vida acadêmica e bah em geral.
Foi level hard mermão! Mesmo. Mas está valendo a pena.

Eu fiz boas conquistas na minha área esse ano. Consegui um bom estágio, conheci muita gente linda graças a minha faculdade e especialmente graças a Museologia Social, apresentei meu primeiro trabalho numa conferência internacional, continuei trabalhando com o que gosto e com minha bolsa de extensão. 
Esse ano tive a certeza de que escolhi a área certa pra trabalhar e estudar, espero seguir nesse ritmo (um pouco mais desenfreado, se puder) ano que vem.


4. Cuba


Pois é, quando eu reclamo de 2014 todo mundo responde "Mas você foi pra Cuba!". Sim, me sinto um pouco mal reclamando de 2014 tendo ido para essa ilha esse ano. Só isso é algo válido demais para dizer que esse ano valeu a pena sim. Cuba também está no top 3 das melhores conquistas desse ano. Me esforcei muito para conseguir dar conta dessa viagem, muitos pequenos estresses até partir para lá, mas nossa hein. As vezes bate aquela saudade e vou rever as fotos. Foi uma experiência fantástica, que serviu para os pontos 3, 4, 6 e 1 desse post, sério. Lá eu conheci gente maravilhosa da Museologia Social, tive ainda mais paixão por essa área, fiquei mais próxima de amigos meus, amadureci e me senti de fato total independente. Quero outra experiência dessa em 2015, pode?


5. Amadurecimento


Acho que de todas as coisas que mais me marcaram em 2014, meu amadurecimento é de longe a que mais se destaca. De todas as vezes que o forninho quase caiu ~e  foram algumas boas~ eu amadureci mais um tico. E como falei em um post aqui, dói, dói muito, mas faz a gente crescer então está valendo. 
Todo esse amadurecimento desse ano vou levar para vida então preciso ser grata por essa "conquista" também né?
Mas em 2015 a vida pode ser mais legal comigo hein? hahaha


6. Independência


Acho que não posso dizer que ganhei total independência esse ano, mas cheguei muito perto disso. Nunca o nome desse blog foi tão real na minha vida. Liberdade. Liberdade para eu pensar o que eu quiser e consequentemente ser também. 
Acho que liberdade está diretamente ligado com independência. Criei independência de pensamento e financeira. 
De pensamento de longe foi a melhor. É simplesmente fantástico viver se importando menos com os outros e mais com a gente mesmo. Quero continuar crescendo nesse sentindo todos os anos, como já vem acontecendo há anos também.


7. Coisas que gosto


Não sabia (nem sei ainda) como nomear esse último ponto. Mas esse ano eu continuei fazendo pequenas coisas que me dão prazer e fico feliz por isso. Eu continuei postando regularmente nesse blog, tendo o maior prazer nisso; eu comprei um caderno de desenho e tinta e resolvi pintar e desenhar algumas coisas ao invés de ficar só com lápis e lápis de cor; e orgulhosamente digo que tenho duas câmeras analógicas com filme e eu continuo usando minhas babys, como também consegui fotografar algumas vezes com a minha digital. 



De todo, até que 2014 tem coisas boas pelas quais sou grata.

Fica por aqui o último post desse projeto tão maravilhoso e agradeço nesse finalzinho à vida porque levei desse projeto duas pessoas das internet pra minha vida real e pra grupo no whatsapp haha um beijo pra T. e pra B. (you know you love me, xoxo). E ano que vem se tudo der certo estamos juntas por aqui de novo!










Instagram