Uma carta para meu eu de 10 anos atrás

6 de março de 2014

Escrever para uma pessoa de dez anos, é uma coisa difícil, como falar sobre a vida para uma criança (coisa que eu era a dez anos atrás, já que me encontro com vinte anos)?

Pra começar você ainda não sabe o que é vida, não na forma como a compreendo hoje, você ainda não a sentiu apesar de tê-la, isso só irá acontecer na sua oitava série com seus marcantes treze anos. Quando eu digo marcante, eu estou dizendo pra valer! Apesar de todo amor e dor que você sentirá nesse ano de 2007, ele que te moldará e te dará forma, que a vida vai passar a preencher nos anos posteriores. O mais incrível (e aproveite bastante) é que você a descobriu justamente com a amizade, com seus amigos, uma forma não muito corriqueira de se sentir vivo pela primeira vez.

Quando 2007 acabar você vai estar com o maior ponto de interrogação que já passou até agora (que bom para nós, não?), mas relaxa, posso te dizer que a vida é incrível e é justamente por conta desse imenso ponto de interrogação e tudo que vem depois que você passou a amar as surpresas da vida. Vieram várias e em sua maioria, ótimas.

Como você previa seu ensino médio não foi dos melhores e não tem muito carinho por ele nesse meu coração de vinte anos não. Mas graças a ele, sua mente se abriu um pouco mais e você levou três amizades sinceras para a vida. Três, porque incluo aqui o Alexandre também, o melhor professor que você já teve na vida e adivinha só de História, claro, e quase se formando na faculdade seu peito ainda vai se encher de alegria ao vê-lo e você vai inclui-lo nos seus agradecimentos de monografia, pois é.

Eu posso ser sincera? Eu não me lembro de você, me desculpe. Mas eu realmente tenho um problema forte com o meu eu antes dos meus treze anos. Eu não me lembro de como eu era antes de 2007, tenho um conjunto confuso de memórias que diferente da maioria das pessoas eu não consigo organizar por série escolar e nem por idade, eu atribuo idade e série de forma aleatória como melhor parece se encaixar na minha mente. Logo eu não sei como eu era com 10 anos. Mas pera, que eu acabei de fazer as contas e me localizar um pouco na minha linha do tempo. Eu me lembrei de você! Foi na minha quinta série, com dez anos de idade, que eu finalmente passei a estudar de manhã, passei a usar fichário e finalmente escrever de caneta. Devo te dizer, hoje em dia você ainda estuda de manhã, mas agradece a Deus quando só tem aula a tarde naquele dia da semana e não precisa levantar as 5h. Você abandonou por completo fichário e usa o mesmo caderno de apenas 48 folhas já pelo terceiro semestre seguido, e sua letra fica mais bonita de lapiseira do que de caneta, e sua letra nunca será redondinha, desista, ok você só vai desistir na oitava série quando notar que ter letra bonita é inútil e vai se entregar a letra de garrancho e caída que você tem hoje.

Dos amigos que você tem, só os mais próximos estarão contigo agora, incrível né? Mesmo depois de dez anos, você ainda os ama muito e tem um mar de gratidão por eles. 
Ah! Você finalmente tem um skate! Olha que demais. Você se auto se deu em 2013 no dia das crianças, hahaha. Um long, para ser mais exata, mas nessa idade você ainda nem sabe o que é isso rs. Seu primo que você curtia roubar o skate, não tem? Então, ele também tem um long desses agora, mas vocês nem andarão juntos, ele mora do outro lado do Estado.

Você ainda não sabe, mas você ganhará uma cachorra (sim, outra), mas essa vai ser diferente, vai ser a que mais vai te marcar e a que mais durará ao seu lado, graças a ela eu sou louca por cachorros hoje e tenho desejo de ter uns três quando tiver minha própria casa. O problema todo é que ela partirá depois de cinco anos. Por isso pare de preguiça e a carregue nos passeios de carro que ela tanto ama, deixa-a tomar os banhos de sol que ela tanto amava no quintal, a leve para sair e compre muita banana para ela, que era a fruta preferida dela!



Meu bem, você ainda é uma criança. Apenas viva, que suas memórias de infância fazem um tremendo de um bem para mim hoje, apesar das pouquíssimas que ainda me recordo.
Mas elas me ajudam a me manter mais alegre e besta quando o estresse por conta de responsabilidades ataca, parece bobeira, mas pior que é verdade.

Você vai amar muito, conhecer gente inexplicavelmente legal, gente do Brasil todo inclusive rs, vai criar seu primeiro blog e vai sofrer um bucado ainda pela frente, mas você se tornou bem forte por conta disso.
Ia te falar para viver intensamente, mas tenho orgulho de você ao olhar para esses dez anos que separam a gente e poder te dizer que você sempre viveu todas suas fases intensamente, sem medo, se arriscando, continua assim que algumas vezes você vai frear, porque é preciso, mas na maioria das vezes não, você vai se jogar por completo, desde novinha quando você jogava sem medo no meio da bola num jogo de queimado ou até hoje que eu vivo dando a cara a tapa para saber no que vai dar, e vou te dizer, você tava certíssima pequeno eu.


Esse post faz parte da postagem coletiva "Uma carta para meu eu de 10 anos atrás" do Rotaroots que foi inspirada num post do Hypeness.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Adorei. Crescemos, amadurecemos, mas o que existe ali sempre fica.
    =*

    ResponderExcluir
  2. Ei Sarah :)
    Que blog lindo!
    E tô amando conferir as cartas desse meme, to lendo todas, porque sempre tem algum ensinamento da pessoa para ela mesma que acaba cabendo para você também :)
    Beijo!

    ResponderExcluir

Instagram