Coisas que não vivo sem

26 de fevereiro de 2014

Através do blog da Anna descobri o grupo Rotaroots no facebook e nossa que baita felicidade que foi descobrir que tem muita gente do velho time de guerra dos blogs, do início da década de 2000, cheio de saudade pelos blogs em estilo diário virtual que a gente tanto ama! E nesse grupo dessa galerinha saudosista, rola uns memes pro pessoal postar no blog e compartilhar por lá, eis que faço um deles aqui! O outro eu fiquei tentada a fazer que se chama "de onde eu blogo", mas vou ser sincera com vocês a maioria dos meus posts eu faço no celular entre um compromisso ou outro do dia, que é quando vem a vontade louca de escrever, ou deitada na cama no tablet ou notebook, ou então no meu computador mesmo, então não tem lugar certo.

Voltando então ao assunto do post de hoje Coisas Que Não Vivo Sem, eu resolvi focar em coisa material mesmo (deu super vontade de postar uma foto das minhas irmãs por aqui ~momento irmã fofa~), apesar de não ser apegada muito a coisa material, mesmo cursando museologia (e todo mundo logo pensa que minha casa será um museu cheia de tralha, mas não), foquei nelas para esse post sair. Pode ficar um post meio repetitivo (pra quem lê os posts por aqui), mas vamboraçô!


Câmera fotográfica, de preferência analógica. 
Essa da foto foi a minha primeira câmera analógica da pequena coleção que tenho e a primeira que fotografei quando entrei nessa aventura de usar filme fotográfico. Quem me conhece um pouco ou lê aqui vez ou outra sabe que tenho fotografia como hobby (acho que é o hobby do momento né). Dá um prazer danado escolher o filme, pôr o filme na câmera, fotografar, levar para revelar e por fim apreciar o resultado final. Não consigo viver sem ter uma das minhas câmeras com filme, no momento tenho essa da foto e mais outra carregadas com filme de 36 poses.


Essa foto tem duas coisas que não vivo sem, dvd e livro. Em um post recente disse que não vivo sem estar lendo um livro, acho que a maioria das pessoas que tem paixão por leitura tem uma lista infinita de livros que quer ler, e ai que eu sou dessas que lê um, acaba, e no outro dia já começa o livro seguinte da lista, esse ano estou desejosa de ler mais que ano passado que me dediquei mais a leitura acadêmica, acho que está indo, pelas minhas contas já li sete livros nesses dois meses de 2014, espero continuar nesse ritmo.
E DVD, ah, é o que me completa nas horas livres, assisto bem menos do que gostaria, por não ter hora livre sobrando por aí mesmo, mas vejo uns três filmes em uma tarde sem problemas, como fiz sábado agora, ou vejo infinitos episódios de séries, ou vejo vídeos no youtube mesmo rs.   

É com muito pesar que acrescento esse item aqui, muito pesar. Depois especialmente de ter visto o filme Her to revendo muito minha relação com esse objeto e agora, que ando revendo isso, percebo o quanto sou viciada nele, não que não houvesse percebido isso antes, mas agora percebo mais claramente e de outra forma, que não curto para ser sincera. Mas ainda assim, graças a esse celular que fica(va) conectado a internet 24h (porque não desligo o 3G em nenhum momento, só raras as vezes que quero economizar a bateria) já acordo com notificação de Deus e o mundo na minha tela de bloqueio, e através dele que vejo meu email, como anda aquela matéria que tem grupo no facebook, se minha amiga confirmou a saída hoje e por aí vai, me mantenho atualizada não só quando acordo, porque ainda mal to com o olho aberto (e só vejo mesmo o que tem depois) mas também e principalmente durante o dia. Sendo assim ando dependendo disso, mas também ando tentando não depender e desconectando esse 3G bendito!


Antes eu usava a agenda do celular, porque eu não vivo sem uma agenda (mesmo que eletrônica) sem aquele monte de pontinho marcando data/compromisso. Daí que esse ano decidi apostar numa de papel mesmo, coisa que não fazia desde a época do colégio, e posso falar? to amando. Ano passado usava meu moleskine + agenda do celular, agora juntei maromenu tudo nessa, porque ainda anoto umas coisas na do celular. E uma das coisas que ela é essencial é fazer minhas tão necessárias listas, porque tenho memória para as coisas do aqui e agora muito fraquinha e é tanta coisa miúda pra fazer no decorrer do dia ou quando chego em casa, que esqueço de tudo se não anoto, e um dos prazeres da vida é ver essa lista toda marcada com um ícone de feito, yeah! Pois bem, pra me manter funcionando devidamente, necessito dessa dita cuja aí!

 
O Xarope! Meu amado e odiado (por alheios) urso! Porque não curto essa de que porque já sou maior de idade quase formada na faculdade não posso dormir com meu urso, e daí cara? 
Com ele me permito ser idiota e louca (ficar fingindo que ele tem vida mandando vídeo no whatsapp prazamiga tudo) mas porque ele é o responsável pelas minhas melhores noites bem dormidas da vida! Dormir fora só é desconfortável por não ter ele, pois é! E como não vivo sem dormir não vivo sem o Xarope!
E por fins de mera curiosidade, esse nome maravilhindo veio quando perguntei ao meu pai qual nome meu urso deveria ter e ele respondeu "Shut Up!" porque diz ele que eu falo mundo e deveria calar a boca um poquinho, mas eu quis ridicularizar a coisa , abrasileirei e levei a sério o "nome" que meu pai deu. Batizei o urso de Xarope mesmo.

You Might Also Like

3 comentários

  1. Nossa, que menina cult!

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do seu blog ^^, o descobri no RotaRoots. Sinto falta de blogs assim, mais reflexivos, os de agora são todos mais publicitários, sobre moda. Depois o leio com mais calma =).

    ResponderExcluir

Instagram