Freedom, where are you?

29 de maio de 2013

Quem está acostumado a ter um blog sabe o quanto é ruim ficar dias sem uma postagem nova, como é ruim ficar dias sem ir lá digitar umas palavras e apertar o "Publicar".

Quando isso acontece vem aquela vontade súbita de escrever, e você precisa escrever, mas nem sempre vem a inspiração... Sobre o que escrever. Pensei em algumas coisas, especialmente quando mudei o layout, coloquei esse verde paint como falou minha irmã, mas tudo bem que eu curti, curti mesmo, quando enjoar eu mudo. Queria falar dessa mudança "radical" de tons sóbrios para esse verde alegre. Queria falar sobre as músicas da atualidade. Queria falar do show que fui no fim de semana. Queria falar de muita coisa, mas não tinha a vontade de escrever, e escrever post sem prazer não tem sentindo, não tem lógica.

Hoje entrei em guerra comigo mesma as 4 horas da manhã decidindo se iria ou não para a aula. Amanhã é feriado e graças a Deus sexta enforca, dois dias livre (ou quase isso), mas seriam dois dias acordando mais tarde que o normal, sem peso nas costas e sem chegar em casa de noite, o que está ótimo decidi que meu feriado iria começar hoje e acordei as 9h da manhã, e nossa! Pois é pra quem acorda entre 4 e 6 horas da manhã todo dia, acordar as 9h é como acordar depois do meio-dia.

Mas já na parte da amanhã comecei a trocar sms com amigas e conversar com irmãs sobre como seria minha quinta, amanhã, que é o feriado. Então começou todo o processo que me fez ter aquela vontade de querer vir aqui escrever e apertar o botão "Publicar".

Eu só tenho 19 anos e não sou casada, nem tenho filhos, nem faço meu mestrado, nem tenho uma casa para arrumar, e estou com problemas de horário. Então repito o que eu disse no twitter, como eu admiro nós mulheres, porque ser mulher não é coisa fácil, na verdade ser gente adulta hoje em dia que vivemos na era da rapidez não é fácil. Fiquei admirada com minha professora que é professora mais mil coisas, é esposa, tem filho pequeno e ainda tem tempo para ver série, sério, te admiro!

Voltando ao grande dilema que começou tudo... Não começou bem agora, já tem um tempo... Começou quando eu comecei a perder umas exposições que gostaria de ver.
Entra uma exposição nova em um Museu ou em um Centro Cultural e eu me interesso de verdade, eu começo a caçar horário livre pra ir, até que eu comecei a não encontrar, e as exposições que são temporárias começaram a sair e eu ficando sem ver. Isso começou a me frustrar.

Eu e minhas irmãs queremos ver duas exposições, as 3 não tem tempo livre, encontrar um horário que as 3 possam ir é difícil, só estamos adiando. Decidimos que amanhã no feriado seria uma boa, ao mesmo tempo que eu tenho uma amiga que também tem um horário horrível e está com saudades de mim e estamos tentando nos ver a quase um mês, amanhã seria uma boa para ela me ver. Começou o dilema.

Tentei organizar para conseguir fazer os dois amanhã, mas graças ao horário da minha amiga não vai dar. Tive uma pequena discussão com minha irmã, que reclamou que só enrolo ela e nunca vai ver exposição alguma e que estava enrolando-a mais uma vez.

Céus, ter horário apertado é horrível. Eu amo todas as coisas que faço e que ocupam meu horário, não conseguiria e não quero abrir mão de nada, não estou aqui reclamando do cansaço que sinto ou do quão chato isso é. O que me incomoda é a pressão que isso me causa, no sentindo que me sinto realmente apertada de uma forma realmente incomoda. Qual o espaço livre que tenho para viver?
Não quero entrar num texto filosófico aqui, mas sou obrigada a fazer um pouco disto.

Hoje no momento que decidi que faltaria a aula, acordaria mais tarde (9h da manhã!) me senti livre no sentindo que durante todo o dia não teria nenhum compromisso em que sou obrigada a comparecer e isso é maravilhoso. Mas claro tenho várias pequenas coisas para fazer, que me sufocam porque são coisas importantes e durante a semana não tenho horário para resolver e no final de semana nada abre para que tais coisas possam ser resolvidas.

Mas ainda assim não tenho nenhum grande compromisso, que pra eu ganhar algo seja dinheiro ou nota no final do semestre, eu precise ir. Isso é um alívio. Eu só queria mais dias assim.
Não quero ociosidade nata. Não quero somente acordar tarde e passar o resto do dia vendo série, só quero pode escolher como viver aquele dia, se eu acordei tarde e passei o resto do dia vendo série ficaria feliz porque eu escolhi fazer isso. Queria ter tempo livre para poder assistir um filme em paz sem culpa porque vou dormir mais tarde e vou render menos no outro dia, para poder ler meu livro em paz sem me sentir mal porque eu poderia estar lendo os textos da faculdade. Queria tempo livre para finalmente ir ver minhas exposições sem contar quantas horas vou perder indo e vou gastar lá vendo porque antes e depois já tenho compromisso e só tenho 3 horas contadas para fazer tudo.

Como eu disse eu só tenho 19 anos e não sou nenhuma adulta cheia de peso e responsabilidade, não se você me comparar com a maioria dos adultos pelo mundo, então fazer esse post e reclamar disso tudo pode parecer um tanto quanto desnecessário, egoísta, infantil, mimado, ou qualquer coisa que você achar melhor. Não quero reclamar aqui que sofro e fazer um post melodramático, ou um protesto ou seiláoque.
Só queria nesse espaço que se chama Freedom falar para mim mesma que é exatamente isso que estou precisando, como terei não sei e se terei duvido muito, e repito, olha que só tenho 19 anos.

You Might Also Like

0 comentários

Instagram