Outono ou Verão ?

17 de agosto de 2012



500 Days of Summer ( 500 Dias Com Ela ) é um bom filme, eu gosto desse filme. É um filme contado de uma forma simples, apesar de ir e voltar, mas repleto de deixas, soltas aqui e acolá ao decorrer dele. É um filme que faz seu coração se apertar pelo mocinho da história como faz você rir e rir bem do mocinho da história e dos seus amigos que o cercam. 500 Days of Summer é mais um filme que fala de amor, ou não, 500 Days of Summer é um filme que mostra todas as faces do amor, de um jeito simples, mas que pode tocar a várias pessoas e seus amores, suas formas de amar.

Há o principal, a pessoa que acredita no amor, no mais sublime e verdadeiro amor, aquele que invade a alma, aquele que te enche e te completa, te transforma e te traz a verdadeira felicidade. Me atrevo a dizer que a maior parte da população mundial acredita nesse tipo de amor até pelo menos o início da juventude, até sofrer umas desilusões amorosas seguidas e começar a achar que nem tudo é assim um mar de rosas e ver sua visão sobre o que é o amor sendo mudada de uma forma inevitável.

Há o oposto, a pessoa que não acredita no amor, porque nunca sentiu o amor, é o que o Tom diz, só se sabe o que é o amor quando se sente, esse aqui nunca sentiu, o amor é uma ilusão, algo inventado e que não existe, para encher nossas mentes de mentiras. Aqui o personagem que me refiro, obviamente, é a amada e odiada Summer. Já passou por alguns relacionamentos, e ela, a vida, veio, se fez, e acabou finalizando esses relacionamentos, ela passou por uns desapontamentos e ao ver naquela tela de cinema um casal recém casado triste após sair da própria festa de casamento, ela chora, ela chora por se ver ali, aquele casal não tinha amor entre eles. Imagine se casar com uma pessoa que você não ama? Imagine uma vida inteira sem amor? Sem nunca ter sentido isso? A Summer derrama suas lágrimas.

O filme mostra que o amor existe, o Tom nos mostra isso pelo decorrer do filme, o amor vem e invade e entra com tudo e o transforma em um bobo, o levanta (com direito a dança e tudo) e o derruba (com direito a cabelo amassado e óculos escuro para enganar a cara feia e tudo). O filme mostra que você pode achar sua cara metade, sua alma gêmea, se ver completo e cheio por ela, e te mostra que nem só porque você encontrou você necessariamente vai ficar com ela. Aquela maior parte da população citada acima que acredita no amor? Boa parte dessa maior parte chegou aqui, sofreu essa desilusão amorosa, e descobre que você pode amar, sim amar, não gostar ou se apaixonar, e ainda assim não ser correspondido como quase todo mundo imagina. Vou achar minha alma gêmea e vou ser correspondido, vamos viver felizes para sempre, fim. Mas a vida taí pra isso e não é porque você não é correspondido que isso não é amor, não é mesmo Tom?


O filme mostra que você pode amar e ser correspondido. Summer finalmente descobriu o que era o amor, e com isso veio a certeza, aquela certeza que as pessoas tanto falam: Quando for a pessoa certa, você vai saber. Ela descobriu que é verdade aquilo que o Tom uma vez havia dito que quando é amor a pessoa sabe.

O filme mostra que você não mede a consequência das suas ações. Summer mostrou isso o filme inteiro, ela fazia porque ela queria e pronto. Vamos viver o aqui e agora, para que se preocupar? A gente quer fazer, então a gente faz, é isso ai! Problema é que você pode estar afetando a outra pessoa de uma forma que você nem imagina. Summer era fofa, porque ela queria ser fofa. Summer era engraçada e carinhosa porque ela queria ser engraçada e carinhosa. Summer beijava o Tom, porque ela queria beijar o Tom, e se ela quer, por que não fazer? Acho que Summer não parou para pensar nas consequências que isso ia provocar no Tom.



O filme mostra que você pode fazer alguém amar você propositalmente ou inconscientemente e você marca a vida de uma pessoa como nunca imaginaria antes, e tem que carregar isso, saber carregar isso. Isso aqui é complemento do que acabei de falar acima. Days of Summer mostra que você pode se tornar o "grande amor da minha vida" de alguém e nem sequer imagina que está provocando isso, e muitas vezes pode nunca saber que é você "o grande amor da minha vida" daquela pessoa, ou de alguma pessoa qualquer. Acho isso incrível! Até porque como disse, você não precisa ser correspondido, não precisa ser a outra metade da laranja da pessoa pra ela ser a sua, você pode amar sozinho, ser a única metade e faltar a outra.



E o filme termina mostrando uma grande coisa: O amor pode acontecer mais de uma vez! Há quem diga que só se tem um e verdadeiro e grande e único amor! Nenhum é como aquele outro. O primeiro amor de Tom foi a Summer, ela até o momento tinha sido o único, mas ai aparece Autumn para mostrar a ele que a vida ta aí para se continuar e que o amor pode vir de novo e novamente, num encaixe até melhor que o anterior, quem sabe ? Porque na minha humilde opinião o jeito mais "normal" de Autumn parece se encaixar mais com o jeito do Tom do que o jeito mais "diferente" da Summer. Autumn na pequena cena final do filme parece ser engraçada na medida certa, legal na medida certa, carinhosa na medida certa e parece que se preocupa muito mais com o cara que está do que o verão que veio antes dela.

Autumn pode fazer Tom mais feliz, Autumn pode mostrar para o Tom que o que antes ele duvida (se é capaz de acontecer o amor novamente) era apenas uma dúvida boba e estúpida, e quem vai dizer que ela não foi capaz? Quem vai dizer que um verão é melhor que um outono ?


You Might Also Like

1 comentários

  1. Ressuscitando o post, adoro o filme mesmo eu não sendo nada romantico ou tramas que tem o amor como trama "central" ainda assim, acho uma obra sensacional em especial a ultima cena é muito bem sacada.

    ResponderExcluir

Instagram